Crochet: Uma arte cheia de história

Crochet Uma arte cheia de história

A sua mãe ou avó adoram passar o tempo a criar várias peças de crochet?

Esta é uma arte que costuma ser passada de geração a geração, em muitas famílias. Mas, a sua origem é bastante antiga, e remete a um passado milenar.

Atualmente, o crochet tem ganho espaço inclusive entre os mais jovens, deixando para trás o estereótipo de ser um “hobby para pessoas mais velhas”.

Para homenagear esta linda arte, no artigo de hoje contamos-lhe um pouco mais sobre a sua história e evolução ao longo do tempo.

Conheça um pouco mais sobre a história do crochet e a sua evolução pelo mundo

A palavra crochet é de origem francesa. “Croc”, em francês, significa gancho.

Ou seja, é uma alusão à ponta da agulha usada para fazer os trabalhos que, independentemente do tamanho, possui a extremidade em formato de gancho.

Assim, o termo croc originou a palavra crochet, para designar a arte de criar tecidos e peças com linha e agulha.

Embora este conceito tenha surgido em França, há registos de que a prática do crochet já era comum na China e no norte da África, sendo levada à Europa já no século XVIII.

O precursor do crochet conhecido na atualidade

Inicialmente o crochet não era feito apenas com agulha e linha, da forma que conhecemos hoje.

De acordo com registos históricos, a técnica precursora desta arte era chamada de “Tambour”.

Nesta técnica, o tecido é esticado dentro de uma moldura ou bastidor. Este procedimento é feito de forma bastante tensa, de forma a permitir que o trabalho seja realizado por baixo deste tecido.

A peça era criada com a inserção da agulha com o gancho para baixo, formando o que conhecemos como ponto corrente.

Aos poucos, o tecido e o bastidor foram sendo deixados de lado. Com esta evolução, os pontos passaram a ser trabalhados apenas com a agulha e linha, como conhecemos hoje.

Contudo, havia ainda um certo preconceito ligado a esta arte. Isto porque a mesma era realizada por pessoas mais pobres e de classes sociais mais baixas.

Assim, o crochet era visto como uma forma mais barata de criar as rendas que eram consideradas luxuosas na época.

Contudo, este cenário mudou quando a Rainha Vitória de Inglaterra passou a comprar, utilizar e até criar as suas peças.

Graças a ela, a mentalidade referente a esta arte mudou. Isto colocou as peças de crochet no ápice da moda, também entre a nobreza.

A evolução das agulhas e os pontos mais populares

Atualmente encontramos diversos materiais, tanto nas agulhas como nos diferentes fios para as criações de crochet. Contudo, nem sempre foi assim.

Nos primórdios da arte, por exemplo, as agulhas e os ganchos eram feitos de diversos materiais. Os mais comuns, eram: metal, madeira, espinha de peixe, ossos de animais, entre outros.

Os fios também eram variados, e as peças poderiam ser feitas com peles de animais, lã, linho, fios de cobre, seda, fios de algodão, etc.

Dito isto, alguns pontos e técnicas ficaram marcados na história, tamanha a sua popularidade.

O crochet grampo é um deles, que se caracteriza por pontos mais soltos e leves, sendo muito utilizado para detalhes em vestidos, blusas e xailes.

Já o Granny Square ou “quadrados da avó”, como ficaram conhecidos, consiste numa mistura de diversos pontos e cores.

Os quadrados eram utilizados para roupas, colchas e almofadas, tornando-se bastante populares da década de 70 com o movimento hippie.

Uma arte que atravessa gerações

Durante muito tempo, o crochet era associado como um passatempo de pessoas mais velhas.

Contudo, atualmente esta arte está a voltar a ser mais valorizada, inclusive pelo público jovem.

Também se observa que muitos homens passaram a praticar o crochet, desmistificando o velho tabu de que o artesanato é exclusivo das mulheres.

Assim, a arte do crochet continua a ser transmitida de geração em geração, mas também a internet tem auxiliado a difundir ainda mais a técnica.

Afinal, é muito fácil encontrar tutoriais e dicas para começar a fazer as suas criações.

Os resultados são lindos, e ganham um toque ainda mais especial pela dedicação das mãos de quem mantém viva esta arte.

Sente-se inspirada para iniciar no crochet?

Aceda ao site da Maria Pirosa, e encontre todos os materiais que precisa para começar a criar!

Partilhar artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Subscreva as nossas Newsletters

Seja a primeira a saber as novidades!